Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

TESTE RÁPIDO anti HIV após o PARTO: uma ameaça à AMAMENTAÇÃO?

Por: Revista de Saúde Pública

Resultado do teste rápido anti-HIV após o parto:

uma ameaça à amamentação ao nascimento.

Resumo

OLIVEIRA, Maria Inês Couto de; SILVA, Kátia Silveira da; GOMES JUNIOR, Saint Clair  e  FONSECA, Vânia Matos.

Rev. Saúde Pública [online]. 2010, vol.44, n.1, pp. 59-68. ISSN 0034-8910.  doi: 10.1590/S0034-89102010000100007.

OBJETIVO:

Analisar fatores associados à não-amamentação na primeira hora de vida, sobretudo a influência do momento do resultado do teste rápido anti-HIV.

MÉTODOS:

Estudo de coorte, sendo o ponto inicial a submissão ao teste rápido e o final a primeira mamada do bebê. A população estudada incluiu 944 parturientes submetidas ao teste rápido anti-HIV, com resultado negativo, em 2006, nos cinco hospitais amigos da criança do Sistema de Gestação de Alto Risco no município do Rio de Janeiro, RJ. Entrevistadoras treinadas obtiveram dados do laboratório e do prontuário e no pós-parto aplicaram questionário para entrevista às mães. O modelo multinível foi adotado para analisar a influência de características sociodemográficas, de assistência pré-natal e ao parto sobre a não-amamentação na primeira hora de vida.

RESULTADOS:

Dentre as participantes, apenas 15,6% receberam seu resultado antes do parto, 30,8% depois do parto e 53,6% ainda desconheciam o resultado ao ser entrevistada. A prevalência de não-amamentação na primeira hora de vida foi de 52,5% (IC 95%: 49,3;55,8). Após ajuste, o recebimento do resultado do teste rápido após o parto dobrou o risco da não-amamentação na primeira hora de vida (RR=2,06; IC 95%: 1,55;2,75). Outros fatores de risco foram: cor não branca, renda materna de um salário mínimo ou menos, parto cesáreo, mãe não querer amamentar o bebê ao nascimento e mãe referir que a equipe hospitalar não a escutava. O desconhecimento da realização do teste rápido anti-HIV pela mãe se mostrou como fator de proteção.

CONCLUSÕES:

O principal fator de risco para a não-amamentação na primeira hora de vida foi o recebimento do resultado do teste rápido após o parto. O teste anti-HIV deve ser amplamente disponibilizado no pré-natal e o teste rápido deve ser realizado sob indicação, na admissão, com busca ativa e pronta comunicação do resultado à mulher.

Palavras-chave : Aleitamento Materno; Mulher; Sorodiagnóstico da AIDS; Transmissão Vertical de Doença Infecciosa, prevenção & controle; Estudos de Coortes.

 

Delivering rapid HIV tests results after delivery: a threat to breastfeeding at birth.

 

OBJECTIVE: To analyze factors associated with failure to breastfeed during the first hour of life, especially the influence of time of delivery of rapid HIV test results. METHODS: Cohort study, beginning with the administration of the rapid test and ending the first time the baby is breastfed. The study population included 944 delivering mothers that received rapid HIV testing with a negative result in five Baby-Friendly hospitals of the High-Risk Pregnancy System in the city of Rio de Janeiro, Southeastern Brazil, in 2006. Trained interviewers obtained data from laboratory and patient charts and interviewed mothers shortly after delivery. The influence of sociodemographic variables and antenatal and delivery care characteristics on failure to breastfeed during the first hour of life was determined through a multilevel model. RESULTS: Among participants, 15.6% received the result of rapid HIV testing before delivery, 30.8% after delivery, and 53.6% had not yet been informed of their results at the time of the interview. Prevalence of failure to breastfeed in the first hour of life was 52.5% (95% CI: 49.3;55.8). After adjustment, having received the result of rapid testing only after delivery doubled the risk of failing to breastfeed in the first hour (RR=2.06; 95% CI: 1.55;2.75). Other risk factors included nonwhite skin color, maternal income of up to one minimum wage, delivery by C-section, mothers lack of desire to breastfeed at birth, and mothers report that the hospital staff did not listen to her. Lack of knowledge of HIV testing from the mothers part was found to be a protective factor. CONCLUSIONS: The major risk factor for not breastfeeding in the first hour of life was failure to receive the results of rapid HIV testing prior to delivery. HIV testing should be made widely available during antenatal care; rapid testing should be performed upon admission, only when indicated, and with active search and prompt delivery of results to expecting mothers.

Palavras-chave : Breast Feeding; Women; AIDS Serodiagnosis; HIV Infections, diagnosis. Infectious Disease Transmission, Vertical, prevention & control; Cohort Studies.

Revista de Saúde Pública

versão ISSN 0034-8910

 

 

 

Leia mais aqui no www.aleitamento.com

 

30/9/2009
 

TESTE RÁPIDO para HIV tem IMPEDIDO a AMAMENTAÇÃO  
 


Última atualização: 1/12/2010

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
22 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital