Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

Práticas de amamentação que precisamos normalizar

Por: Gabrielle Gimenez

 /

Práticas perdidas da amamentação

que precisamos normalizar

 

Gabrielle Gimenez*

 

                    Numa cultura com uma média tão baixa de duração da amamentação, não é nenhuma surpresa que muitos dos processos a ela relacionados tenham caído no esquecimento e ganhado status de anormal, esquisito ou desnecessário. Entre eles estão a lactogestação¹ e o tandem². Muita gente nunca ouviu falar. Não sabe o que é. Mas nem por isso perde a oportunidade de opinar.

Muitas mães são assombradas pelos médicos que dizem que amamentar durante uma nova gravidez aumenta o risco de aborto, e orientam o desmame imediato³. O argumento é de que amamentar libera ocitocina e a ocitocina provoca contrações uterinas. Mas essa orientação não procede, já que a musculatura uterina só fica sensível à ação da ocitocina no final da gestação, por ocasião do trabalho de parto. Ter relações sexuais também libera ocitocina e nem por isso os médicos proíbem a gestante de transar. E, portanto, também não deveriam proibir de amamentar.


Após o nascimento do bebê, é comum escutar críticas sobre a "regressão" no comportamento do mais velho, ou que ele estaria roubando o leite do mais novo. Ou ainda, que amamentar em tandem aumentaria o risco de contágio entre os irmãos. Nada disso faz o menor sentido. Voltar a demonstrar mais interesse pelo peito após a nova apojadura é perfeitamente normal. A natureza é sábia e produz sob demanda e não vai faltar leite para nenhum dos dois. Além disso, se a criança mais velha estiver doente e mamar, os anticorpos produzidos pelo organismo da mãe serão transmitidos ao bebê mais novo via leite materno.


Sim, existem desafios na lactogestação e no tandem. Com acesso à boa informação e apoio efetivo é possível superá-los. Muitas mulheres persistem porque acreditam que os benefícios compensam as dificuldades. Temos crianças nutridas e imunizadas, temos um vínculo preservado entre a mãe e o filho mais velho, menos crises de ciúmes e o fortalecimento do vínculo entre os irmãos, tudo isso mediado pela amamentação.


A decisão final sobre o desmame ou a continuidade da amamentação sempre será da mulher. Infelizmente, muitos profissionais e grande parte da sociedade têm dificuldade de entender isso.

  

¹Lactogestação é amamentar durante uma nova gravidez.

 

²Tandem é amamentar duas crianças de idades diferentes, o irmão mais velho e o bebê que acabou de nascer. É a sequência natural da lactogestação.

 

³ Aborto? Numa gestação normal, também chamada de baixo risco ou risco habitual, a continuidade da amamentação não representa maior risco de aborto ou parto prematuro, não afeta o desenvolvimento fetal, não prejudica a saúde do bebê maior que ainda mama, nem a saúde da mãe, conforme evidências científicas. A lactogestação, do ponto de vista metabólico, não representa maior esforço do que uma gravidez gemelar.

 

Madarshahian F, Hassanabadi M. A comparative study of breastfeeding during pregnancy: impact on maternal and newborn outcomes. J Nurs Res. 2012;20(1):74-80. doi:10.1097/JNR.0b013e31824777c1

 

 

*Gabrielle é mãe de três, editora especial do portal aleitamento.com e autora do livro

"Leite Fraco? - Guia prático para uma amamentação sem mitos".


Última atualização: 1/7/2021

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
26 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital