Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

\ Amamentação \ Pesquisas \ Artigo

Mulheres que amamentam: menos doenças cardíacas

Por: Prof. Marcus Renato de Carvalho, UFRJ

 /

Mulheres que amamentam:

menos doenças cardíacas, afirma pesquisa

Raquel Derevecki -  Gazeta do Povo

                    

                          Além de reduzir o risco de as mulheres terem câncer de mama, de ovário e diabetes tipo 2, amamentar em algum momento da vida diminui a incidência de doenças cardiovasculares e de derrame. Essa é a conclusão de um estudo publicado recentemente no Journal of the American Heart Association (Jaha), revisado pela Associação Americana do Coração (American Heart Association).

A pesquisa analisou os dados de mais de 1 milhão de mães em todo o mundo e percebeu  que aquelas que amamentaram tiveram redução de 11% no risco de desenvolverem problemas cardiovasculares, 14% em doenças coronarianas, 12% em acidentes vasculares cerebrais (AVC) e 17% de redução nos eventos cardiovasculares fatais em comparação com mulheres que nunca foram lactantes.

As participantes do estudo tinham aproximadamente 50 anos e engravidaram pela primeira vez por volta dos 24. A média de filhos que tiveram foi de 2,3 crianças e o período de amamentação médio, 15 meses.

 

Como ter mais saúde cardíaca?

De acordo com o estudo, diversos fatores podem contribuir para que lactantes tenham um coração mais saudável, porém duas hipóteses são as principais: peso após o parto e ação de hormônios como a ocitocina, que “é crucial para ejetar o leite materno, mas também tem vários efeitos benéficos no sistema cardiovascular”, informa o estudo, ao explicar que esse hormônio auxilia na redução da pressão arterial e na vasodilatação.

A outra teoria, no entanto, indica que amamentar contribui para a perda de peso das mães após o parto e que isso influenciaria na proteção a problemas de coração.

“Sabe-se que o peso elevado é um fator de risco para futuros eventos cardiovasculares, então esse também pode ser um fator mediador para a associação entre aleitamento materno e redução do risco cardiovascular”.

Inclusive, os autores acreditam que isso aconteça porque a lactação poderia “resetar” o metabolismo materno, redefinindo distúrbios metabólicos como diabetes e hiperlipidemia, que estão associados a maiores riscos de problemas de coração.

De fato, diversos estudos têm demonstrado o restabelecimento da homeostase glicêmica e lipídica após a gravidez e os efeitos benéficos da lactação nessa reconstrução”, aponta o estudo.

 

Para o nosso portal essa pesquisa não é novidade, veja:

 

MULHER que AMAMENTA SOFRE MENOS INFARTO  

New Scientist Magazine - Tradução de Marcus Renato de Carvalho

 

 

Mulheres que amamentam têm menos risco de sofrer derrames


Última atualização: 26/1/2022

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
26 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital