Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

AMAMENTAÇÃO na CABEÇA !

Por: Thaís Lyra do Jornal EXPRESSO POPULAR - Santos, SP

AMAMENTAÇÃO na CABEÇA !

 

Por falta de informação, muitas mães deixam de amamentar exclusivamente os filhos com leite materno até os 6 meses. O que muitas nem imaginam é que tal atitude pode custar muito caro para a saúde dos bebês.

Segundo estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS), só 39% das crianças recebem exclusivamente leite materno nos primeiros 6 meses de vida, conforme recomenda resolução do órgão aprovada há três anos. E boa parte das mulheres também não amamenta os filhos até os 2 anos.

Crianças que não mamam no peito têm 14 vezes mais chances de morrer por diarréia.

Dados da OMS dizem que crianças que não mamam no peito têm 14 vezes mais chances de morrer por diarréia e estão quatro vezes mais suscetíveis de morrer por pneumonia. Pesquisas mais recentes dão conta de que o leite materno evita até mesmo a obesidade na vida adulta.

Ainda assim, com os benefícios e com a facilidade (é possível amamentar em qualquer hora e lugar), por que muitas mães não fazem isso?

Para o pediatra Marcus Renato de Carvalho, especialista em amamentação, vários fatores atrapalham. Um dos principais é que para amamentar é preciso haver uma disponibilidade emocional da mãe.

Na cabeça

"O leite é produzido no peito e na cabeça. É preciso haver uma generosidade muito grande para a mulher se doar e nem sempre ela está em condições de fazer isso".

Ele lembra que tudo influencia a amamentação, desde um ambiente familiar propício até a chegada do bebê em um momento adequado. "Se esta mulher não for preparada, ela não vai conseguir amamentar".

A questão cultural também atrapalhou muito, revela o especialista.

"Nas décadas de 60 e 70, as fórmulas infantis surgiram como ditas substitutas do leite materno, e bicos e mamadeiras ganharam espaço. Esses conceitos a gente já conseguiu mudar e, hoje, existe um controle da publicidade dos alimentos e dos bicos e mamadeiras".

+ informações no site www.aleitamento.com

Governos devem investir em programas

Os governos, em todas as esferas (municipal, estadual e federal), devem investir ainda mais em programas de promoção, proteção e apoio ao aleitamento, na opinião do pediatra Marcus de Carvalho.

"Desde a década de 80 tentamos derrubar esses conceitos sobre fórmulas infantis e mostrar que o leite materno exclusivo até os 6 meses é a melhor coisa que existe para a criança".

O médico reconhece que a própria legislação em vigor não colabora para que as mães amamentem os filhos.

Ele lembra que o Ministério da Saúde orienta 6 meses de amamentação exclusiva, mas o Ministério do Trabalho garante apenas 120 dias (4 meses) de licença-maternidade.

"Vamos iniciar uma campanha para aumentar a licença da mulher para ela poder se dedicar exclusivamente à amamentação nos primeiros 6 meses de vida de seu bebê".

Atualmente, lembra o médico, muitas conseguem juntar o período da licença com as férias, garantindo 5 meses de afastamento.

"Assim que a mulher volta à sua rotina, para que não haja o desmame, ela deve dar papinhas de frutas e legumes e amamentar antes de trabalhar e quando chegar em casa".

 

PRÁTICA SÓ TRAZ BENEFÍCIOS

Em relação aos benefícios, Marcus de Carvalho fala que são muitos e a cada dia são descobertas novidades:

"O leite protege o sistema imunológico contra infecções, vírus e bactérias. É uma espécie de vacina. Outra coisa é que é um alimento pró-biótico, ou seja, contém bactérias benignas que atuam contra microorganismos externos. Além disso, protege e previne contra doenças crônicas e degenerativas, como hipertensão, obesidade e diabetes".

VÍNCULO

A amamentação em si é benéfica para o bebê em vários aspectos, e um dos mais importantes é o desenvolvimento do sistema estomatognático (músculos oro-faciais). "E tem o vínculo com a mãe, que é muito importante".

A própria mulher se beneficia, já que a amamentação diminui a incidência de câncer uterino e do seio, ela volta para o peso normal mais rapidamente e tem menos anemia.

"O peito não cai por causa da amamentação. A amamentação deve ser algo prazeroso. Não é para sangrar o bico do seio, ter dor, rachar, ter mastite (inflamação das mamas). Se isso ocorre é porque ela não foi bem orientada e ou apoiada".

Para amamentar, o bebê deve ficar bem juntinho ao corpo da mãe, com o nariz e o queixo encostando no peito. A boca do bebê deve estar bem aberta e deve abocanhar toda a areola, e não apenas o bico do seio.

****************************************************************

Sophie Schilirò de Carvalho !

Hoje, 25 de outubro de 2004, você faz 3 anos e é um prazer enorme ser seu PAI !

Marcus Renato de Carvalho

 
 


Última atualização: 3/5/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital